Família Barcarollo
 Página de Genealogia

Pietro Barcarollo e Maria Maddalena Comin

A chegada da Família Barcarollo no Rio Grande do Sul está registrada no livro "Registro nr 1 - Labirinto - Registro Borrador dos Colonos do Núcleo Colonial do Governo aos Fundos de Nova Palmira".

Sob os números de ordem 4251 a 4260, na folha 138, está registrada a chegada ao Rio Grande do Sul, em 08/01/1878, da família de Pietro Barcarolo. Pietro, então com 41 anos, veio acompanhado de sua esposa Maria Maddalena Comin, 41 anos e dos filhos: Francesco, 15 anos; Antonio 12 anos; Evaristo, 8 anos; Marietta, 3 anos; Petronilla, 12 meses; e dos irmaos: Anna, 52 anos, solteira; Giovanni, 47 anos, solteiro; Maria, 45 anos, solteira. Verifica-se no referido livro a seguinte retificacão, a lápis, sobre a família de Pietro: de Antonio (12 anos), para Antonia (12 anos); inclusao, sem numero de ordem, do filho Antonio, 9 anos.

Informacões sobre a viagem da família de Pietro Barcarollo,casado com Maria Maddalena Comin
a) partida da Itália: 10/10/1877, do porto de Gênova, com destino ao porto de Le Havre na França, a bordo do vapor Italiano "Itália";
b) escala na França: partida em 17/11/1877, do porto de Le Havre, a bordo do vapor "Henri IV", com destino ao porto do Rio de Janeiro, Brasil;
c) chegada ao Brasil: 13/12/1877, no porto do Rio de Janeiro. Na época os imigrantes eram encaminhados para a hospedaria localizada na Ilha das Flores, aonde aguardavam o transporte até o destino previsto;
d) 08/01/1878: chegada ao Rio Grande do Sul, no acampamento do Núcleo Colonial de Nova Palmira. Ali aguardaram a definição dos lotes de terra e depois instalaram-se em Caxias do Sul.
Os familiares estão relacionados na folha 8 da lista de passageiros do vapor Henri IV. Pietro era cunhado de Antonia D'Ambros, viúva de seu irmão Francesco, que veio para o Brasil no mesmo navio.